Como é a perícia psiquiátrica para avaliação da dependência química?  

As avaliações psiquiátricas forenses na temática de dependência química parecem ser das mais polêmicas e controversas, mesmo entre profissionais de notório saber científico e técnico.

A apuração da imputabilidade do agente que tenha cometido um delito em razão de dependência ou sob efeito de droga é realizada de acordo com o critério biopsicológico.

À semelhança da avaliação de imputabilidade penal, o perito deverá verificar a existência de transtorno mental (no caso, decorrente do uso de substância psicoativa), o nexo de casualidade entre o transtorno e o delito e realizar percuciente exame da capacidade de entendimento e de determinação.

É necessário que a condição de estar “sob o efeito […] de droga” seja “proveniente de caso fortuito ou força maior” para o reconhecimento da inimputabilidade ou da semi-imputabilidade.

Aplica-se, aos indivíduos que cometeram delitos sob efeito de álcool ou de outra substância psicoativa, o princípio da actio libera in causa.

A condição de embriaguez, seja por álcool, seja por “substância de efeitos análogos”, pode ser classificada de acordo com o tipo (não acidental ou acidental) e com o grau de embriaguez (completa ou parcial). Conforme sua natureza, as consequências jurídico-penais poderão sofrer profundas alterações.

Mais uma vez a grande dificuldade é para o perito ou assistente técnico conseguir tirar conclusões ou fazer inferências razoavelmente junto  de fatos já ocorridos em diferentes tempos.

Hewdy Lobo Ribeiro

CREMESP 114681

Médico Psiquiatra Forense pela ABP

Vida Mental Serviços Médicos – Contatos e Endereços

(11)4114-0019 – (11) 2306-4203

(11)99710-4448

contato@vidamental.com.br

Dr. Hewdy Lobo

Atendimento 24 hs.

(11) 99622-8883

lobo@vidamental.com.br

 

 

 

Leave your thought